Últimas notícias do Brasil e do mundo, sobre política, economia, emprego, educação, saúde, meio ambiente, tecnologia, ciência, cultura e carros. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
Rede de empreendedorismo apoia universitários a abrir o próprio negócio
Rede de Ligas de Empreendedorismo oferece suporte aos jovens empreendedores, além de aproximar aqueles que têm interesses em comum. Rede de empreendedorismo apoia universitários a abrir o próprio negócio Uma comunidade lançada por estudantes apoia a criação de pequenos negócios no Brasil inteiro. A iniciativa é chamada de Rede de Ligas de Empreendedorismo. Uma pesquisa feita por uma plataforma digital de apoio ao empreendedor mostra que 60% dos jovens brasileiros querem ter o próprio negócio. O empresário Guilherme Kodja criou uma loja virtual de móveis enquanto cursava administração, na Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ele contou com apoio de mentores da Liga de Empreendedorismo da faculdade. “Antes eu acreditava que a principal coisa praa uma empresa era o produto, e hoje eu vejo que são as pessoas, e eu aprendi isso por meio da liga. Eu espero ser um velhinho, olhando pra trás, 70 anos de empresa e, se Deus quiser, a maior do mundo”, disse. A Liga de Empreendedorismo tem o objetivo de preparar jovens universitários para os negócios. É um espaço para troca de informações, workshops, criação de uma rede de contatos, focado na formação de empreendedores. Existem cerca de 100 ligas empreendedoras em diversas universidades brasileiras. E para ampliar esse movimento foi criada uma rede de ligas. O estudante de economia Fernando Guerreiros é o fundador da Liga da Universidade Federal de São Carlos. O universitário observou que em países como a Inglaterra e os Estados Unidos, é comum a comunicação entre ligas de diferentes instituições. Foi daí que ele teve a ideia de formar uma rede no Brasil. “É importante ter essa conexão por vários fatores. Um deles é a diversidade de regiões, de aprendizados, e também para essas ligas trocarem conhecimento entre elas”, apontou Fernando. Atualmente, 950 estudantes participam da rede. A estudante Sabrina Baldo estuda administração e faz parte da organização da Liga da FGV. “Só de você conversar com uma pessoa e contar sobre o seu projeto ela sempre vai ter alguém para te conectar ou então para aumentar o impacto da sua empresa. A gente já fez vários eventos com outras ligas, o alcance é maior. Então, dá para sentir isso na pele todos os dias”, contou a estudante Um dos trabalhos da Liga é aproximar jovens empreendedores com interesses em comum. Guilherme e Rodrigo se conheceram por indicação de um mentor. “E ele conseguiu fazer as pontas ali, né, de juntar o Guilherme, que tava na busca um sócio, e eu, que tava na busca do meu próprio sonho, de começar a empreender também.” Guilherme, que em 2021 lançou a loja virtual de móveis e realizou o sonho de empreender, atualmente administra o negócio junto com Rodrigo. Com o apoio de um investidor anjo, que conheceu o e-commerce deles pela Liga, a empresa passou a ter sede própria e emprega dez funcionários. “A gente conseguiu mais de 60 clientes nesse primeiro ano. A gente também conseguiu atrair pessoas muito legais para perto da marca. Então, isso deixa a gente muito feliz”, destacou Guilherme. Pela plataforma, o cliente personaliza o móvel - dá para escolher o tamanho, a cor e o formato. “Ninguém melhor do que você para saber o que combina com a sua casa. Então, a gente permite que você crie, de forma totalmente intuitiva por meio da nossa plataforma de customização 3D, um móvel de acordo com o seu jeito” É o próprio cliente que, também, faz a montagem a montagem do móvel. Basta seguir o manual que acompanha o produto. “Pra mim, é muito gratificante poder ver que pessoas construíram grandes negócios dedicam o seu tempo, a sua energia e, até mesmo, o seu dinheiro, para ajudar empreendedores que estão começando. Isso me deixa muito feliz e eu acredito que esse seja o melhor caminho para gente desenvolver, cada vez mais rápido, o Brasil”, disse Guilherme Vortex - Rede de Ligas de Emprendedorismo Site: www.vortexuniversitario.com.br Instagram: https://instagram.com/vortexuniversitario Liga de Empreendedorismo da FG Site: https://www.lefgv.com/ Instagram: https://instagram.com/lefgv Movêu Móveis Alameda Santos 1293, conjunto 52-Jardim Paulista São Paulo/SP – CEP: 01419-002 Telefone: (11) 91031-7946 Site: moveismoveu.com E-mail: contato@moveismoveu.com Instagram: https://www.instagram.com/moveis_moveu/
Sun, 26 Jun 2022 10:39:59 -0000
Corpos de 17 jovens são encontrados dentro de bar na África do Sul
Caso aconteceu em pub popular na cidade de East London. Autoridades ainda investigam o que ocorreu. Autoridades da África do Sul estão investigando a morte de pelo menos 17 jovens cujos corpos foram encontrados dentro de um pub popular na cidade de East London. Segundo o chefe da polícia local, Tembinkosi Kinana, os corpos foram encontrados por moradores da área do bar, que fica a cerca de 3 quilômetros do centro da cidade. Todos os mortos tinham entre 18 e 21 anos, ainda de acordo com a polícia.
Sun, 26 Jun 2022 10:37:38 -0000
Plataforma conecta pequenas empresas a investidores interessados em emprestar dinheiro
Empréstimos variam entre R$ 30 mil e R$ 500 mil. Análise é criteriosa e apenas nove entre cada cem pedidos de empréstimo são aprovados pela startup. Plataforma conecta pequenas empresas a investidores interessados em emprestar dinheiro O empreendedor que planeja pegar um empréstimo para investir no negócio precisa fazer bem as contas. Ele deve ter certeza de que vai conseguir pagar a dívida e evitar problemas lá na frente. A empresa do Marcelo Pelisser trabalhava apenas com a manutenção de equipamentos odontológicos. Mas ele percebeu que havia demanda para, também, atender a área médica. “Porém, nós não tínhamos os equipamentos para fazer o serviço”, contou o empresário. Para fazer o investimento, Marcelo pegou R$ 60 mil emprestados numa plataforma de crédito. Mas, antes de pedir o dinheiro, ele fez uma conta básica, que todo empresário deve fazer, para garantir que o retorno do investimento será maior do que o custo do empréstimo, que é a taxa de juros. A empresa transformou o dinheiro que pegou emprestado em um novo laboratório. Comprou equipamentos novos, contratou Cristiano e a Aisla e aumentou o faturamento de R$ 360 mil para R$ 450 mil por mês e já pensa em novos investimentos. “Para que a gente possa aumentar o número de simuladores e com isso a gente vai conseguir atender um número maior de clientes ao mesmo tempo”, explicou. Mas um empréstimo feito sem planejamento pode virar uma dor de cabeça. Por isso é preciso tomar alguns cuidados. O professor de finanças e negócios Anderson Pinto dá algumas dicas. “Acho que o primeiro ponto é avaliar a real necessidade, avaliar como está a situação financeira, para solicitar ou não o empréstimo”, alertou o professor. “Agora a gente tem que verificar o seguinte, o pra quê e o porquê desse empréstimo, qual é a finalidade? O empréstimo bom é aquele que vai ajudar a empresa a crescer e ainda melhorar a sua rentabilidade”, completou. Outra dica importante é não atrasar o pagamento das parcelas e, assim, perder o controle. “Eu crio uma bola de neve, eu vou criar mais juros, mais contas pra pagar e, ao invés de eu resolver o meu problema, eu estou criando um novo problema”, enfatizou. Marcelo fez o empréstimo pela plataforma criada pelos sócios Leonardo, Márcio e Diego. “Temos empresas que tomam crédito a partir de R$ 30 mil até R$ 500 mil”, disse o sócio Leonardo. A startup conecta a empresa que precisa do dinheiro com investidores. “Muitas vezes, ela tem uma ideia maravilhosa, ela quer lançar um produto novo, ela quer dar um up na sua fachada, quer comprar uma máquina nova e muitas vezes ela não tem dinheiro pra isso”, disse Márcio. Para pedir um empréstimo, basta se cadastrar na plataforma e enviar documentos, como: - contrato social - extrato bancário - e imposto de renda. A análise é bem cuidadosa, feita por robôs, que usam os chamados algorítimos. “De cada 100 empresas que pedem empréstimo, eu consigo aprovar aproximadamente 9 empresa”, destacou Márcio. A plataforma dá uma nota pra avaliar o perfil da empresa e definir a taxa de juros - que vai de 1,4% a 7% ao mês. A startup já financiou mais de mil empresas e, no momento, tem cerca de R$ 100 milhões de investidores para aplicar em negócios. PeakInvest Rua Cubatão, 86 - Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP: 04013-000 E-mail: contato@peakinvest.com.br Site: www.peakinvest.com.br Telefone: (11) 3031-3123 Instagram: https://www.instagram.com/peakinvest/ Facebook: https://www.facebook.com/peakinvestbrasil LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/peak-invest-brasil/ Youtube: https://www.youtube.com/channel/UC7BEx_mxmEyGvFrZTwqEpQA Peliserv Equipamentos e Serviços Odonto Médicos Rua Capitão Antônio Bueno Rangel, 266 - Jardim Jaraguá - São Paulo/SP - CEP: 05158-440 E-mail: peliserv@peliserv.com.br Site: http://www.peliserv.com.br Telefone: (11) 3901-1000 WhatsApp: (11) 96166-0224 Instagram: HYPERLINK "" \t "_blank" https://www.instagram.com/peliserv_odonto/ Facebook: HYPERLINK "https://www.facebook.com/peliserv/" https://www.facebook.com/peliserv/
Sun, 26 Jun 2022 10:37:24 -0000
Empresária cria loja de revenda de artigos infantis usados e negócio vira franquia com 200 unidades
Empreendimento nasceu em 2014 em São José do Rio Pardo, interior paulista, e não parou de crescer. Empresária cria loja de revenda de artigos infantis usados e negócio vira franquia com 200 unidades Uma loja infantil que compra e revende produtos seminovos, com descontos de até 80%. Essa ideia nasceu de uma mãe do interior de São Paulo e virou uma franquia com quase 200 unidades. O movimento de clientes não para. São pais com bebês de colo, no carrinho e com crianças de todas as idades em busca de economia. “Por que vale à pena? Porque os preços são mais em conta, a qualidade é boa, e aí a gente tem bastante opção, então vale a pena”, disse Thais Teixeira, uma das clientes da loja. A loja vende peças de roupa, itens de enxoval, brinquedos, calçados, carrinhos e acessórios novos e seminovos com preços de 50% a 80% mais baratos do que os das lojas convencionais. “Aqui eu economizei muito mais na roupa de 1 ano dela. No shopping, o que eu pagaria R$ 200, aqui eu consegui por R$ 89”, destacou Thais. A marca foi criada pela Elaine Alves em 2014 na cidade de São José do Rio Pardo, interior de São Paulo, depois do nascimento do Francisco, primeiro filho dela. “Me encorajei, não voltei para o meu emprego, peguei meus dois últimos salários maternidade, na época era menos de R$ 1 mil, e comecei a minha primeira lojinha, bem pequeninha, com 30 metros quadrados”, contou a empresária. O modelo de negócio agradou tanto que, em menos de um ano, Elaine abriu mais quatro lojas em cidades vizinhas. Atualmente, ela comanda uma rede com quase 200 unidades em operação e mais de 100 em fase de implantação. “Então, a gente tem aí todo mês pelo menos dez lojas novas entrando em operação”, destacou Elaine. Daniela Prado e o marido Jailson inauguraram uma loja franqueada da marca de Elaine em maio do ano passado, um mês depois do nascimento da Laura, primeira filha do casal. “A gente sabe que abrir o seu próprio negócio no país, as condições que a gente estava em meio à pandemia, era super difícil, só que a gente acreditou. Dorme trabalhando, acorda trabalhando, então, a gente mergulhou de cabeça”, disse Daniela. Na loja dá para comprar e vender produtos em bom estado. Além da economia, a ideia é incentivar o consumo consciente no universo infantil, em que as crianças perdem tudo tão rápido. “A ideia é boa. Essa parte de conscientização, de reutilização das coisas, a parte ambiental e social também, porque a gente vende produtos em bom estado com preço muito atrativo”, destacou Jailson. A unidade da Daniela e do Jailson tem mais de 40 mil itens. Todo dia chega coisa nova, de pais e mães que querem desapegar. Depois de receber os lotes, cada franqueado faz a triagem das peças que recebeu. Se o fornecedor concordar com a oferta feita, recebe o dinheiro na hora. Ou pode optar por créditos para gastar na loja com acréscimo de 20%. “Eles entendem que deixando aqui eles conseguem pegar outros itens e aí eles trazem cada vez mais, porque o benefício acaba sendo maior”, apontou Daniela. “Então, o franqueado, quando ele entra na rede, ele passa pelo treinamento, ele aprende a fazer essa curadoria. Depois, ele conta com a ajuda do nosso sistema, que vai informar para ele o que ele pode comprar e o que não. E quanto ele deve pagar, por quanto ele deve vender, para a loja funcionar direitinho”, explicou Elaine. As lojas compram lotes de no mínimo 20 peças, sempre em ótimo estado. “A gente olha um por um, pra verificar o estado de conservação, se tem manchinha, se o zíper está ok, se tem botão”, destacou Daniela. Na rede de franquias, há três tamanhos de loja, de acordo com o número de habitantes da cidade. O investimento varia entre R$ 167 mil e R$ 370 mil. O resultado do primeiro ano de funcionamento surpreendeu a Daniela e o marido. Agora, eles se preparam para mais dois nascimentos – de uma nova unidade e de um irmão ou irmã para a Laura. “É muito satisfatório a gente levantar todo dia e ver funcionando, dando certo e atendendo tantas famílias. Que isso é importante”, disse a empresária. Cresci e Perdi Franchising Rua Alexandre Dumas, 899 – Santo Amaro - São Paulo/SP – CEP 04717-001 E-mail: faleconosco@crescieperdi.com.br Site: https://crescieperdi.com.br/ Instagram: https://www.instagram.com/crescieperdi_central/ Museu da Imaginação Rua Ricardo Cavatton, 251 - Lapa de Baixo São Paulo/SP - CEP: 05038-110 E-mail: contato@museudaimaginacao.com.br Site: https://www.museudaimaginacao.com.br/ Telefone: (11) 2645-7590 / (11) 94539-7638 Instagram: https://www.instagram.com/museudaimaginacao/ Facebook: https://www.facebook.com/museudaimaginacao/ Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCrBsMxvBo3mVFsRpUYfhn-w
Sun, 26 Jun 2022 10:32:29 -0000
Risco-país cresce mais no Brasil do que em outros países da América Latina

Alta de juros nos Estados Unidos piorou cenário econômico para as economias emergentes, mas incertezas com rumo da Petrobras e política fiscal fazem economia brasileira sofrer mais. Bolsonaro e Paulo Guedes REUTERS/Adriano Machado A percepção de risco dos investidores internacionais piorou de forma mais intensa com o Brasil do que com o conjunto das economias da América Latina. Desde o início do ano, o risco-país brasileiro medido em CDS (Credit Default Swap) subiu 87 pontos, para o patamar de 290 pontos, de acordo com um monitoramento realizado pela consultoria Tendências. Nesse mesmo período, a média do risco-país de Colômbia, Chile, Peru e México avançou 58 pontos, para 168 pontos. Compartilhe esta mensagem no Telegram Compartilhe esta reportagem no WhatsApp O CDS é uma espécie de seguro contra calote e, portanto, funciona como uma das principais medições de riscos entre as economias. Quanto mais alto é o CDS, mais arriscado o país é considerado pelos investidores. "O pano de fundo desse movimento é o momento mais adverso e desafiador do mundo", afirma Silvio Campos Neto, economista da Tendências. "O ajuste monetário tem sido mais incisivo do que o esperado, com o Fed (Federal Reserve, banco central dos EUA) tentando tomar as rédeas da inflação." Na semana passada, o Federal Reserve subiu as taxas de juros do país em 0,75 ponto percentual – o maior aumento realizado desde 1994 – numa tentativa de cortar a maior inflação do país em 40 anos. Banco Central dos EUA aumenta taxa de juros em 0.75 p.p Juros mais altos tiram o ritmo de crescimento da economia, porque encarecem o crédito para as famílias e os investimentos para as companhias. Nessa toada, o Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu a previsão para o PIB mundial deste ano de 4,4% para 3,6%. A comparação feita pela Tendências inclui países latino-americanos que despertaram algum interesse dos investidores nos últimos anos, mas que passaram por incertezas recentes, sobretudo com disputas políticas. Em março, o Chile elegeu o jovem Gabriel Boric, ex-líder estudantil, e, na semana passada, os eleitores colombianos deram a vitória na disputa presidencial para Gustavo Petro, ex-guerrilheiro do grupo M-19. "São países que passaram por questões internas, por eleições que geraram desconfiança nos investidores", diz Campos Neto. Quem é Gustavo Petro? Ex-guerrilheiro se torna o 1º presidente de esquerda da Colômbia Esse ambiente mais difícil se expressa também no comportamento das moedas – a saída de capital acompanha a piora na percepção de risco. Elas têm perdido valor frente ao dólar norte-americano diante do movimento dos investidores de buscar ativos mais seguros nos EUA com a alta dos juros. Em junho, o dólar já subiu 10,55% em relação ao real até a última sexta-feira (24). “A inflação nos Estados Unidos tem sido mais alta (do que o esperado). O Fed aumentou os juros em 0,75 ponto percentual, o que acaba pesando sobre as moedas”, diz Marco Maciel, sócio e economista da Kairós Capital. Por que o Brasil sofre mais? Na leitura de Maciel, o Brasil lida com o "mal de liquidez", ou seja, por ser uma grande economia, tem mais entrada e saída de recursos quando comparado com outros países, o que provoca a oscilação da moeda e do risco-país. Dessa forma, a economia brasileira sente mais as mudanças de cenário global. "A alta de juros lá fora responde por 65% do movimento de desvalorização recente do real", diz o sócio e economista da Kairós Capital. O Brasil sofre ainda com incertezas internas que despertaram a preocupação recente dos investidores. As principais dúvidas são se o governo Jair Bolsonaro (PL) e o Congresso vão intervir na política de preços da Petrobras e qual será o custo fiscal para conter a alta dos preços dos combustíveis. De olho na reeleição, a alta do preço da gasolina e do diesel se tornou um problema para Bolsonaro, que está em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Datafolha: Lula tem 47% da intenção de votos, e Bolsonaro, 28%; Ciro aparece com 8% Desde 2019, quando assumiu, Bolsonaro já indicou quatro presidentes para a Petrobras – a última escolha foi a de Caio Paes de Andrade. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), chegou a debater alterações na lei das Estatais, também numa tentativa de controlar os preços dos combustíveis - a lei foi sancionada durante o governo de presidente Michel Temer e tem como um dos objetivos evitar que setores do Executivo e de partidos políticos interfiram na gestão das estatais. O mercado também se debruça sobre qual pode ser o custo fiscal das medidas adotadas pelo governo federal para mitigar a alta dos combustíveis no custo de vida do brasileiro. O governo tem sinalizado com a criação de um "voucher caminhoneiro" e aumentos do vale-gás e do Auxílio Brasil. ANA FLOR: Área econômica do governo dá aval à proposta de auxílio de R$ 1 mil para caminhoneiros Ana: Ala política avalia ampliar vale aos caminhoneiros para R$ 1 mil "No caso do Brasil, os movimentos de junho incomodaram os mercados. Houve mobilização (do governo e Congresso) em torno do preço dos combustíveis, com movimentos forçados de troca no comando (da Petrobras) e possíveis mudanças na lei das Estatais", diz Campos Neto. Na sua última ata, o Comitê de Política Monetária (Copom) reconheceu riscos para a economia diante da incerteza sobre o "arcabouço fiscal" e das políticas que estimulem a economia em ano eleitoral. O Banco Central sinalizou que deve manter os juros altos por mais tempo.
Sun, 26 Jun 2022 10:23:57 -0000
Produtores de hortaliças encontram soluções para proteger plantações no inverno

Agricultores aquecem hortaliças com manta TNT. Forte onda de frio está prevista para o estado em julho, segundo o Simepar. Chegou o inverno: agricultores se preparam para o frio O inverno começou na terça-feira (21), e produtores do Paraná pensam em medidas para proteger as plantações na estação. Uma forte onda de frio, com alerta de geada, está prevista para julho, segundo o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar). Para produtores de hortaliças, uma solução eficiente é cobrir a plantação com uma manta TNT, pois garante que o calor aqueça o ambiente durante o dia e permaneça em volta da planta durante a noite, conforme o Instituto de Desenvolvimento Rural do estado (IDR-Paraná). Na propriedade de Silvana e Luiz Matucheski, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, a solução é adotada desde os dias frios do outono. "Hoje, a gente já tem mil metros colocados aqui. A gente já deixou encomendado para, quem sabe, na próxima geada a gente já ter mais", disse Silvana. Produção de hortaliças no Paraná RPC/Reprodução Produção de hortaliças no Paraná RPC/Reprodução Condições climáticas A previsão é que o inverno de 2022 seja mais seco do que o outono no estado. Na estação passada, houve um acúmulo de chuvas, que foi benéfico para o desenvolvimento da segunda safra de milho, mas atrapalhou o plantio de trigo. O inverno frio e seco auxilia culturas de inverno, mas café, cana-de-açúcar e milho são muito afetadas pelo frio em excesso. “Em um primeiro momento, elas diminuem seu crescimento e, em um frio mais intenso, ocorre a queimadura das folhas”, explicou Tiago Hachmann, técnico do IDR-Paraná O trigo, que é um cereal de inverno, tolera temperatura mais baixas, mas não suporta geadas também. Já outras espécies são justamente favorecidas pelo frio, como os brócolis, couve-flor e repolho. Alerta Geada Bom Dia Paraná conta como será o inverno Até o final do inverno, o Simepar emite as previsões de geadas para todas as regiões por categorias de intensidade – fraca, moderada ou forte – com antecedência de 72, 48 e 24 horas. Os avisos são lançados no serviço "Alerta Geada", mantido em parceria com o IDR-Paraná e disponível nos seguintes canais. aplicativo Telegram Canal Alerta Geada Paraná; aplicativo "Iapar Clima"; Disque Geada (43) 3391-4500; sites do IDR-Paraná e Simepar; redes sociais: @idrparana. g1 PR: vídeos mais assistidos Veja mais notícias do estado no g1 Paraná.
Sun, 26 Jun 2022 10:20:48 -0000
Queijo paranaense é premiado em concurso internacional; entenda como é feita a produção da receita

A receita de queijo "porungo" é realizada em uma pequena propriedade familiar de Palmeira. Queijo porungo paranaense vence concurso internacional A receita de queijo "porungo", de uma pequena propriedade familiar de Palmeira, na região dos Campos Gerais do Paraná, recebeu destaque ao ser premiada em um concurso internacional de queijos artesanais. O queijo paranaense conquistou o primeiro lugar na categoria "Queijo de leite de vaca com massa filada jovem". O concurso ocorreu em Araxá, no estado de Minas Gerais. Queijo "porungo" de Palmeira RPC/Reprodução Como o queijo é produzido A propriedade em Palmeira tem mais de 20 vacas leiteiras. Os animais em lactação produzem diariamente 500 litros de leite, que vão direto para a queijaria. A receita do queijo "porungo" foi trazida por imigrantes italianos, mas ganhou um toque paranaense. A produção de queijo na propriedade é resultado de uma união familiar. “Foi uma mudança bastante radical na nossa vida. Minha irmã tinha o sonho de montar a queijaria porque ela já trabalhava com queijo. Propusemos a parceria, eles aceitaram, e já estamos aí há cinco anos produzindo queijo”, conta Jiceli Comin. Queijo "porungo" de Palmeira RPC/Reprodução O processo de produção da receita começa com o leite em uma máquina, onde é feita a pasteurização. Em seguida, são adicionados cálcio, fermento e coalho. O resultado desse procedimento é uma massa fresca e resistente. Nessa massa, é colocada água a 80°C para, em seguida, ser apertada e moldada à mão para criar a forma de um porongo. Após esse processo, a massa vai para um tanque de salmoura por cerca de duas horas e meia. Em seguida, o queijo está pronto para ser embalado e vendido. A capacidade de produção da propriedade é de 50 kg por dia, o equivalente a, aproximadamente, 200 queijos. No momento, o queijo premiado é vendido apenas em supermercados e panificadoras de Palmeira. Entretanto, a família espera expandir a produção em breve. Queijo "porungo" de Palmeira RPC/Reprodução g1 PR: vídeos mais assistidos Veja mais notícias do estado no g1 Paraná.
Sun, 26 Jun 2022 10:19:46 -0000
Maior mamoeiro do mundo é registrado no Paraná; veja como agricultor encontrou a árvore

A reportagem do Caminhos do Campo, da RPC, contou a história do agricultor que encontrou o mamoeiro e do reconhecimento do Guiness Book à árvore. Maior pé de mamão do mundo fica no Paraná Um passeio pela propriedade rural em Nova Aurora, no oeste do Paraná, em um domingo no mês de abril de 2021, fez o agricultor Tarcísio Folts, de 56 anos, encontrar na terra dele o pé de mamão considerado o mais alto do mundo pelo livro mundial de recordes Guiness Book. Ele conta que não acreditou que se tratava de um mamoeiro pela altura da árvore, que tem 14 metros e 55 centímetros de altura. O agricultor comenta que teve que chegar mais perto para ter certeza. Maior mamoeiro do mundo é registrado no Paraná: 'Eu vi e pensei, vai pro Guiness Book,' diz agricultor A reportagem do Caminhos do Campo, da RPC, contou a história do agricultor e do reconhecimento do livro dos recordes ao mamoeiro. Veja no vídeo acima. Maior pé de mamão do mundo é registardo no oeste do Paraná pelos Guiness Book Arquivo pessoal/Tarcisio Folts e Gilberto Franz g1 PR: vídeos mais assistidos Veja mais notícias do estado no g1 Paraná.
Sun, 26 Jun 2022 10:18:58 -0000
Produtos da Ceasa de Curitiba têm alterações nos preços; confira

Entre os itens que ficaram mais em conta está a batata comum lavada, que passou de R$ 4,40 para R$ 2,80 o quilo. A bandeja de morango, porém, passou de R$ 5 para R$ 8,75. Ceasa de Curitiba: grande parte dos produtos com preço estável Produtos da Central de Abastecimento do Paraná (Ceasa), em Curitiba, tiveram variações nos preços na semana entre 19 e 24 de junho. Entre os itens que ficaram mais em conta está a batata comum lavada, que passou de R$ 4,40 para R$ 2,80 o quilo. O tomate longa vida extra AA, por sua vez, estava R$ 6 o quilo há duas semanas. Atualmente, está R$ 3,50. Dos produtos que aumentaram de preço, a maior mudança foi a do morango. A bandeja, que custava R$ 5, agora sai por R$ 8,75. O mamão formosa também teve o preço reajustado de R$ 4 para R$ 4,67 o quilo. Ceasa de Curitiba registra queda no preço de alguns produtos após chuva RPC/Reprodução g1 PR: vídeos mais assistidos Veja mais destaques na página especial Caminhos do Campo.
Sun, 26 Jun 2022 10:18:17 -0000
Confira a programação da agenda rural paranaense para a semana de 26 de junho a 3 de julho

Festas e caminhadas na natureza marcam agenda rural nesta semana. Agenda do campo (26 de junho a 3 de julho) >>> Neste domingo (26), ocorre o último dia da Festa do Padroeiro de São Pedro do Paraná, no norte do estado. A programação começa às 11h30 e termina com o tradicional leilão de gado. >>> Em 3 de julho, ocorre em São Jerônimo da Serra, também no norte do Paraná, a Primeira Caminhada Internacional da Natureza. O percurso tem 12 quilômetros, e a largada está prevista para 9h. O evento conta também com café da manhã e almoço. Inscrições e outras informações >>> Também em 3 de julho, ocorre em Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba, a Caminhada Internacional da Natureza - Circuito Mãe da Mata. A recepção aos participantes começa às 7h. Três saídas são previstas, a partir das 7h30. Inscrições e outras informações Caminhadas na Natureza RPC/Reprodução Reveja os vídeos do Caminhos do Campo Veja mais notícias na página especial Caminhos do Campo.
Sun, 26 Jun 2022 10:17:07 -0000

This page was created in: 0.01 seconds

Copyright 2022 Oscar WiFi

This website or its third-party tools use cookies, which are necessary to its functioning and required to achieve the purposes illustrated in the cookie policy. By closing this banner, scrolling this page, clicking a link or continuing to browse otherwise, you agree to the use of cookies. If you want to know more or withdraw your consent to all or some of the cookies, please refer our Cookie Policy More info